Papo de Fotógrafo Podcast

Menu
Tecnologia e Equipamentos

Sobre o desenvolvimento de tecnologias fotográficas

15 de Abril de 2016

Fabricantes de equipamentos fotográficos e tecnologia andam unidos há décadas, isso é inegável. Seja o alarde todo sobre “o melhor desempenho em ISO alto” da Sony com a A7s, “a primeira DSLR fullframe barata” da Canon com a 5D original ou mesmo “a 85mm de melhor desempenho do mundo” com a ZEISS e sua OTUS 85mm f/1.4, tecnologia é o que faz fotógrafos (amadores e profissionais) desejarem determinada câmera ou objetiva. Ocorre que, por vezes, o marketing dá ênfase demais nas qualidades erradas do equipamento, sendo que outros pontos seriam bem mais passíveis de atenção.

Vamos voltar ao ano passado, quando eu escrevi um artigo sobre a – na época, novidade – EOS Rebel T6s. Ao meu ver, na época, a Canon estava perdida, lançando uma câmera perdida no meio de tantos modelos, tentando criar um novo segmento a ser preenchido. Os meses se passaram e, ao usar a câmera pela primeira vez, eu percebi que estava errado – a T6s era, na verdade, um laboratório da Canon, para testar o que e o que não funcionaria em futuras câmeras – não apenas na linha Rebel. Ao testar uma nova funcionalidade (como gravação de vídeo em HDR, exclusivo da T6s até então) a Canon poderia ver se o uso dessas funções eram interessantes ao ponto de serem inclusas em todas as futuras câmeras ou não.

Pois bem, avançamos para 2016. Um novo ano, novas câmeras, novas objetivas, flashes, etc. Todo aquele murmurinho de sempre – e, no meio disso, a Canon anuncia o lançamento da 80D com um novo modelo de objetiva que possui um motor de zoom e AF externo. O problema, em si, não é nem o anúncio da câmera. O problema é que o marketing todo da Canon foi ao redor das funções que a câmera já possuía com a 70D, e o tal motor de zoom e AF externo. O marketing da Canon só esqueceu de falar da melhor qualidade da câmera, que é o sensor.

Por anos, usuários reclamam que a Canon não melhora seus sensores – e, com isso, inúmeros usuários passaram a migrar de sistema. Entretanto, isso parece que está mudando, aos poucos – justamente com a 80D.

Vejam os dois vídeos abaixo. Ambos são resenhas da EOS 80D, e sobre todos os pontos positivos da câmera, os dois dão um ênfase bem grande no sensor que equipa a mais nova DSLR da Canon.

Ambos possuem o áudio completamente em inglês, mas existem exemplos visuais de como o alcance dinâmico da câmera melhorou infinitamente sobre outros modelos – e tudo isso graças ao novo sensor da câmera. Ironicamente, o sensor foi o ponto menos falado pelo marketing da Canon, sabe-se lá por qual motivo. Talvez por acharem que os usuários se importam mais com wifi e NFC do que com alcance dinâmico (o que, de certa forma, não é mentira) mas, marketing de lado, a 80D está aí para mostrar que as coisas estão mudando – e para melhor.

Se você for usuário da Canon, essa melhoria toda vai passar para os próximos lançamentos da empresa – e não se esqueçam que a aguardada 5D Mk IV pode dar as caras ainda esse ano.  Se você não for usuário da Canon, isso significa que o fabricante do seu atual equipamento vai desenvolver mais ainda seus equipamentos, para sempre ficar competitivo com o mercado.

Ou seja, independente do time que você joga, você só tem a ganhar.

%d blogueiros gostam disto: