Papo de Fotógrafo Podcast

Menu
Artigos

Cuidado com as silhuetas

6 de março de 2017

Silhuetas são tentadoras. Ainda mais quando temos um lindo pôr-do-sol. Porém, elas são bem complicadas de se trabalhar. Muitas vezes, principalmente fotografando pessoas, perdemos as formas que nos caracterizam como humanos. Em silhuetas não temos detalhes nenhum de olhos, rosto, feições e volume (tridimensionalidade). Temos apenas formas preenchidas de preto. E é com o contorno dessas formas que temos que tomar bastante cuidado.

Na maioria das fotos de casais em silhueta que vemos, eles estão parados, frente a frente, de perfil. Essa é a maneira mais “segura” para a foto ficar legal, pois assim podemos distinguir o contorno do rosto das pessoas. Vemos o desenho da testa, nariz, boca, queixo, pescoço. Mas não se engane: mesmo assim, tão fácil, estamos sujeitos a correr vários riscos também.

No caso da foto em questão, observo o seguinte: as silhuetas, quando se tocam, deixam de ser duas formas distintas e separadas, e passam a ser uma só, grudada. O famigerado “casal de siameses”, conectados através dos narizes. Existe ainda um terceiro elemento que está visualmente ligado ao casal: a nuvem. Observando a foto original, é como se tivesse saindo uma fumaça da parte traseira da cabeça do noivo, já que na foto escura perdemos aquela noção da tridimensionalidade já falada e tudo vira uma coisa só. A nuvem não está mais lá atrás, como nosso olho vê, mas ligada ao casal.

Foto: Thiago Salomão

Foto: Thiago Salomão

Considerando que essa é uma fotografia que foi feita com a intenção de ser em silhueta, as maiores questões, na minha opinião, não seriam resolvidas em tratamento por software, e sim na hora do clique. Algumas opções alternativas para deixar a foto mais agradável: dirigir o casal (ou esperar o momento em que eles desgrudem os narizes); mudar o posicionamento do fotógrafo para que as cabeças dos noivos estejam sob um plano de fundo limpo (a parte do céu sem nuvem), usar uma luz adicional nos rostos e esquecer da silhueta, etc. As opções seriam infinitas, de acordo com a percepção, criatividade e conhecimento do fotógrafo. Porém, supondo que essa é a única imagem que temos pra trabalhar, vamos tentar resolver da melhor forma no tratamento.

Na hora de tratar esse Raw, decidi desfazer a silhueta (e o pôr-do-sol também, me desculpa). Além das razões citadas acima, quando subi a exposição e pude enxergar os rostos deles, descobri que seus sorrisos estavam muito gostosos e achei que não mereciam ficar escondidos no “pretume” daquela silhueta. Ao clarear a foto, ela terminou perdendo um pouco sua cor rosada, e a temperatura nos rostos ficou amarelada. Corrigindo o balanço de branco, o céu surgiu azul. Lindo, agora temos um contraste de cores – amarelo e azul. A correção da lente removeu a vinheta escura que contornava as margens da foto. Dei um crop para eliminar alguns elementos que considerei que não estavam ajudando, e aproveitei para rotacionar a imagem um pouco à direita, de forma que a diferença de altura dos noivos ficasse mais sutil (a noiva estava bem mais alta). Por último, removi os fios de cabelo que estavam na região do pescoço da noiva.

Foto: Thiago Salomão | Tratamento: Maíra Erlich

Foto: Thiago Salomão | Tratamento: Maíra Erlich

Espero que tenha gostado dessa solução. E da próxima vez, cuidado com as silhuetas!

Quer ter uma imagem sua analisada e tratada pela Maíra? Envie o link do raw para contato@papodefotografo.com.br

—————

Maíra Erlich
mairaerlich.com

%d blogueiros gostam disto: