Papo de Fotógrafo Podcast

Menu
Artigos

O que sua marca diz sobre você?

19 de abril de 2017
art_vanuzaamarante

VENDER = VER + COMPREENDER

Toda empresa ou profissional que deseja ser reconhecido no mercado usa um logotipo para lhe representar. Você já se perguntou por que?

Não basta só escrever um nome com uma letra qualquer dentre as que o Word® oferece para se sentir representado. Uma coisa é certa, se você optar por escrever seu nome ou de sua empresa desta maneira seu logotipo “caseiro” cumprirá a primeira função: se comunicar com o espectador (dizer qual é o nome da empresa/pessoa o qual está representando ali).

Você já parou para pensar que até o tipo da fonte escolhida, o tamanho, a cor, a grossura, espaçamento e a legibilidade escolhidas têm uma enorme função?

Veja no exemplo abaixo como uma simples escolha pode passar diferentes mensagens:

Quadro 1. Exemplo de fontes diferentes aplicadas com um mesmo nome

Quadro 1. Exemplo de fontes diferentes aplicadas com um mesmo nome

Por este quadro podemos confirmar algumas informações adicionais que só o nome sozinho não nos passa, como o nicho em que esta pessoa atua, quem é seu público-alvo, seu profissionalismo, se trabalha com fotografia autoral ou corporativa, dentre muitos fatores.

Uma fonte é cheia de características subliminares, pode ser feminina, masculina, rústica, refinada, elegante, despojada. A escolha da melhor fonte para te representar deverá ser feita com muita cautela.

Vale lembrar que um logotipo leva apenas 2 segundos para ser identificado, reconhecido e entendido. Se dentro desses 2 segundos o espectador não compreender as mensagens fundamentais (nome, nicho, profissionalismo, afetividade, dentre outras), há uma rejeição natural do cérebro e consequentemente a você e a seu negócio.

Neste ponto frisamos a importância de reduzir ao máximo grafismos dentro e fora do logotipo, pois há uma grande chance de atrapalhar esta compreensão inicial. Procure sempre ter um logotipo com alta legibilidade e que seja objetivo em todas as mensagens subliminares.

Há notadamente uma linguagem frequentemente utilizada nos nichos de fotografia, utilizarei como exemplo os nichos de newborn e casamento:

Quadro 2. Logotipos de alguns fotógrafos do nicho de fotografia newborn do estado de São Paulo retirados da internet.

Quadro 2. Logotipos de alguns fotógrafos do nicho de fotografia newborn do estado de São Paulo retirados da internet.

Para o primeiro a linguagem gráfica é voltada para o universo lúdico, com cores em tons pastéis em sua grande maioria, uso comum de grafismos, desenhos estilizados nos símbolos, remetendo sempre a suavidade, leveza e delicadeza. A mensagem que todos eles querem passar é que são de um nicho onde há profissionalismo com uma pegada familiar e amigável, menos corporativa e fria; a abordagem frente ao cliente é mais menos agressiva em relação ao “produto final” – os bebês – que demandam carinho e atenção especiais.

Quadro 3. Logotipos de alguns fotógrafos do nicho de fotografia de casamento em nível nacional, retirados da internet.

Quadro 3. Logotipos de alguns fotógrafos do nicho de fotografia de casamento em nível nacional, retirados da internet.

Já na linguagem da fotografia de casamento as marcas são representadas em cores fortes muitas vezes em preto ou grafite, com fontes de alta legibilidade, menos coloridas e mais chapadas. O publico-alvo do nicho de casamento são adultos por isto há uma seriedade maior na experiência visual do espectador.

Uma marca cria um vínculo emocional com o cliente ao passar dos anos, quando o design é bom e proporciona um relacionamento positivo, consegue-se um vínculo memorável. Este é o objetivo em se ter uma marca que o represente de maneira mais fiel possível, para que esta interação entre seu “desenho” e seu público seja bem-sucedida.

O logotipo é parte de um complexo sistema visual que engloba muitas características além das citadas acima, quando abrange todos os pontos de contato existentes entre o público e a empresa a qual representa será responsável por fortalecer a imagem percebida da mesma, participando decisivamente da estratégia e conceituação da marca.

A identidade visual é um dos itens do branding corporativo, que será o próximo artigo. Até lá!

Vanuza Amarante
Designer formada em Desenho Industrial pelo Mackenzie – SP, com especialização em Design de Produtos. Trabalhou em escritórios de design no Brasil e Canadá, atualmente tem um escritório de design focado no nicho de fotografia de casamento, a VAALBUNS.