Papo de Fotógrafo Podcast

Menu

Quando alguém rouba tua ideia …

24 de outubro de 2017
_MG_5920-2

… o melhor que você pode fazer é dar os parabéns.

Sejamos honestos, isso dá uma ‘raivazinha’, mas e depois o que você faz? Senta a bunda na cadeira e tira a ideia da gaveta?

Não né? Perde tempo se estressando e mostrando pro mundo que alguém roubou a sua ideia e o que muda fazendo isso?

Absolutamente nada.

Você apenas perdeu tempo, se esgotou e avisou pro mundo que você só sabe reclamar.

Porque convenhamos, uma ideia é apenas uma ideia, não é realidade, e por mais que ela vire realidade pelos esforços de outra pessoa, foi a outra pessoa que botou ela no mundo, não você.

Então dê os parabéns para essa pessoa, foi ela que teve a coragem para colocar a ideia em prática, sendo que você deixou pra depois, deixou lá no fundo da gaveta, esquecida.

Sinceramente, se dependêssemos apenas de ideias estaríamos fadados a nunca criar nada, fazer nada e ser nada.

Sem contar com o fato de que a ideia não será a mesma, pois cada um tem a sua bagagem, tem suas histórias, personalidade, paixões e enxerga o mundo de maneira diferente.

Você quer um conselho?

Não te incomodes com isso, estarás apenas perdendo um tempo precioso, que poderias estar fazendo com que a sua ideia levante voo.

Vou te contar um segredo: Nada é original. Nada é criado do zero.

É ilusão acreditar que só existe a nossa ideia. Posso ir mais além, se você teve uma ideia agora, de duas uma - ou as duas - ou ela já existe e está a todo vapor a um passo de ti ou do outro lado do mundo, - e assim não está mais no plano das ideias - ou ainda, alguém em algum lugar teve a mesma ideia, no mesmo momento que você.

Parece loucura né? mas pense novamente, isso é bem possível.

Tudo vem de influencias e referências passadas, nem os Beatles escaparam, eles começaram como uma banda de cover. O Google. O Facebook. O dono da padaria da esquina que inovou no seu atendimento.

Tudo é copiável, mas você é que escolhe o que deseja entrar na sua vida.

E aí quando você menos esperar, você terá o seu original, não o de outra pessoa. Você irá com sua pesquisa, suas referencias, sua bagagem e seu mundo, criar algo original que veio de várias outras coisas, pessoas, ideias, projetos e/ou empresas, porém, nunca do zero.

Você não precisa reinventar a roda, você só precisa correr atrás de inspiração, de boas cópias e de vontade - para testar e errar muito.

Desta forma, você terá esquecido do por que ficou com raiva do amigo que roubou a sua ideia, terá feito grandes progressos e irá sentir na pele novamente a sensação de outras pessoas terem roubado sua ideia, mas ela não será mais ideia e isso significará que estás no caminho certo, de tão boa que sua ideia - já não mais ideia - virou.

Outro detalhe, há uma grande diferença entre roubar e imitar, mas isso é papo pra outro post. Fica ligado que tem mais textos da onde veio esse. ^^

Esse texto também não saiu do zero, foi produzido por dois motivos: um post que vi essa semana no facebook e um livro - que super indico - “Roube como um Artista” de Austin Kleon

Fotografia e texto: Bruna Medeiros